quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

.
Sabe aquela coisa que dizem quando a gente tá morrendo, que em segundos toda a sua vida passa diante dos seus olhos? Deve ser desesperador, no mínimo. Poucos segundos pra caber uma vida inteira. E uma vida inteira passando exatamente nos últimos segundos antes do fim... Tipo, meu deus!, acabou tudo! Poucos segundos para muitas lembranças. Desesperador, no mínimo.
Hoje vivi tortura maior, talvez... Foram três anos passando pelas vistas durante um dia inteiro, martelando o juízo de alguém que já não anda muito bem. E o pior... Não foi num dia que antecede qualquer fim. Foi num dia que antecede uma vida inteira pela frente! Muitos segundos para poucas lembranças. Tortura...
Inafiançável!


segunda-feira, 4 de julho de 2011

Gosh, they love mediocrities... Why?

 

.
"E quando chega em casa e liga a TV, vê tanta gente mais feliz do que você!
Apaga a luz na cama e antes de dormir, fica pensando o que fazer pra conseguir o que é dos outros!
Querer o que é dos outros é o seu gozo e fica remoendo até o osso, mas sua fruta só lhe dá caroço.
Invejoso! O bem alheio é o seu desgosto.
Queria um palácio suntuoso, mas acabou no fundo desse poço"
 .

Letra: Ivejoso - Arnaldo Antunes
Arte: Fabrini Crisci

P.S.'s: 
*[sarcastic moment: ON]
*Especialmente para duas pessoinhas lindas do meu . [loveforevermotherfuckers!]
*Pensei em colocar um trechinho de uma música do Pink Floyd também e, obviamente, teria que ser original, in english. Mas como diria minha best anônima forever [♥] "não tem nada mais babaca do que brasileiro, dentro do Brasil, falando inglês... Tenha dó!" Então, in honor, não postarei nada em inglês. Afinal de contas, pra quê aprender e praticar outros idiomas, não é mesmo? So... So silly!
*Ooops!
*[sarcastic moment: OFF]



quarta-feira, 20 de abril de 2011

Run rabbit... RUN!

.



...porque música nenhuma se encaixa tão bem na minha atual realidade...


P.S.: Alusão pertinente ainda que não tão veemente quanto à música do Manu Chao à:
- Breathe - Pink Floyd
- Run rabbit - Eminem
- Run rabbit run - Flanagan & Allen
- Run rabbit run - The hoorsies

segunda-feira, 28 de março de 2011

"A vida dos cães é muito curta. Sua única falha, realmente."


.
"Os cães são o nosso elo com o paraíso. Eles não conhecem a maldade, a inveja ou o descontentamento. Sentar-se com um cão ao pé de uma colina numa linda tarde, é voltar ao Éden onde ficar sem fazer nada não era tédio, era paz."
.
[Milan Kundera]


  

P.S.'s:
* Dos cinco, restam-nos, agora, quatro...
* Ironia estúpida essa de ser batizado de Luck e morrer atropelado...
Autoria do título: Agnes Sligh Turnbull.
* Obrigada pelo abraço... 

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A sombra. O pé.

Depois que a bomba explode, sempre sobram de pé os mais fortes - ou os mais bem posicionados. Mas sobram! Sempre sobram!

Faltam-lhes pernas, braços, olhos, voz. Sobra-lhes apenas uma triste vida, dessas quase mortas. Mas sobra! Sempre sobra. Sobra uma sombra tímida se arrastando pelos escombros, pelos corpos aos pedaços. Mas sobra. Sempre sobra, não sobra?

Sobra sim, eu vi. E não adianta me dizer que era pra tudo, digo, todos, terem morrido. Não era! Alguma sobra tinha que sobrar. Nem que seja pra deixar em evidência esse vazio de coisa sem esperança. Nem que seja só pra deixar feio, monótono, triste. Alguma sobra viva tem que sobrar. Algum pedaço, algum resquício. Qualquer lembrança. Alguém de pé.

A bomba explodiu. Quem jogou? Sabe-se lá! O que se sabe é que, literalmente, a casa caiu! A casa, os prédios, os futuros... E junto, estão cambaleando os planos de acordar ao lado de. Em cima de. Um bom dia! bem animado escorrendo com a água das mangueiras!

Mas como eu ia dizendo, depois que a bomba explode os mais fortes e... Quem mais eu tinha falado? Ah, sim. Os bem posicionados! Isso! Os mais fortes e os mais bem posicionados sempre ficam de pé.

Você... Ah, você até caminha sem titubear, vê só! Eu? Eu tô só a sobra. A sombra. O peito. A raça. Amanhã, o riso. Só amanhã. Hoje não.
Depois da bomba. Sobra. Alguma coisa viva. Tem que sobrar. Pedaço. Resquício. Lembrança. Alguém. Um pé... Nem que seja na bunda!

*Peritos revelam que a bomba explodiu no meio de um quarto, nas mãos de uma jovem*

P.S's.:

-Thaty, perdão pelo furo. Perdão pelo sumiço. Perdão. "Fiquei tão só, aos poucos. Fui afastando essas gentes assim menores, e não ficaram muitas outras. Às vezes, nos fins de semana principalmente, tiro o fone do gancho e escuto, para ver se não foi cortado. Não foi." [Caio, nosso Caio]

-Feliz aniversário, Thaty. Eu te amo!

-"Não sei se em algum momento cheguei a ver você completamente como Outra Pessoa, ou, o tempo todo, como Uma Possibilidade de Resolver Minha Carência. Estou tentando ser honesto e limpo. Uma Possibilidade que eu precisava devorar ou destruir." [C.F.A.]

*A bomba ti-nha que explodir. Se não fosse nas mãos, seria no peito. E aí... Bem, aí nem a sobra!*