sábado, 31 de janeiro de 2009

Rest In Peace!

.
"O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia...
Só o que está morto não muda!!!!"
[Lispector]
.
* ...Coz I looked at my heart and told him: "R.I.P."

Arte: Orlando Pedroso

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Tanto...

.
Dói tanto
Que não tenho palavras pra decifrar!
Sangra tanto
Que, juro, nunca vi tanto liquido rolar!
Queima tanto
Que nunca vi chama assim se alastrar!
Rasga tanto
Que eu nunca vi ferida chorar!

Choro tanto...
.

Texto: Savana Dantas

Arte: Paula Rego

P.S.:

"Onde é que você some?

Que horas você volta?

Que horas, me diga que horas...

Me diga que horas você volta?"

[Chico]

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Um dia o dia vai chegar!

.

Um dia, o seu dia só vai raiar porque eu ainda existo na tua vida. Nesse dia, o lago do teu sorriso só vai refletir a luz do sol porque eu fiz o favor de limpar a nuvem de chuva que caminhava junto a você. Você vai abrir os olhos e só vai enxergar o sentido da tua vida depois que você sentir que eu estou do teu lado, na cama. Teus olhos só vão brilhar porque eles estarão refletindo a chama que emana do meu corpo. Tua respiração só vai se manter porque eu te emprestei o meu coração pra não te ver morrer na praia, depois te ter te ajudado a nadar todo o oceano das nossas lágrimas! Mas quando esse dia chegar, vai ser tarde... O nosso tempo não vai caber no relógio, os nossos destinos não caminharão pela mesma estrada, a minha mão não estará mais presa à tua... E o meu coração, que estará repousando no teu peito, vai perder as forças e o nosso amor vai ficar vagando sozinho, à mercê do primeiro sexo gostoso que aparecer!!! Nesse dia você vai sentir minha falta e eu vou gozar a liberdade!

.


[Arte: Orlando Pedroso.]
[Texto: Savana Dantas]

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

. . .

.

OCO, por Eliane Estoducto.

"Teu pouco amor louco,

Primeiro foi como um soco

Depois deixou-me o peito oco!
.


[Arte: Orlando Pedroso]

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

A-L-E-A-T-Ó-R-I-O !-!-!

.
Num belo dia, aliás, pra ser mais específica, num belo dia 17/12/2008, às 23:01:58, depois de conversarem sobre blogs, textos... Depois de combinarem ver o glorioso Nando tocar no Bar do Careca... Depois de terem conversado sobre os mais diversos assuntos - como sempre - eis que surge a idéia...

.
Savana diz: Ei, eu tive uma idéia...
.
Thaty diz: Diz
.
S: Vamo escrever um texto agora!? Tipo, vc diz uma frase e eu digo outra e a gente vai intercalando...
.
T: VAMOSSSS! Vc começa. rs
.
S: Nem nem, nenêm! Começa vc.

T. Qqer coisa qqer coisa???

S: Sim, sim. Algo aleatório. Aliás, esse podia ser o nome do texto... 'Aleatório'.

[E eis que elas começam a escrever... Depois de algum tempo, o texto nasce!!! Eu jogo no word, faço as modificações necessárias e mando pra Thaty...]

S: Toma!

[Thaty lê...]

T: Gostou?

S: Gostei, ficou bem 'nós'.
.
T: Sim, e como!

S: Vc gostou?

T: SIIIIIIIIIMMMM!

S: Ai, flor, foi tão legal! ^^

T: Foi sim. Ficava ansiosa pensando no que vc ia escrever.

S: Anrãn, mó angústia, sei lá! rs

[...]

S: Ai que feliz... Vamos ter que fazer isso sempre!

T: Vamos mesmo.

S: A gente posta algum dia?!

[...]

[Eis que depois de 20 dias, uma borboletinha verde me aparece dizendo pra eu postar o texto.. Ei-lo, Thaty, pra mim e pra você!!!]

.

Perdi o horário do almoço e as horas perderam-se dentro das minhas correrias... Será que as correrias perderam-se nas horas ou as horas perderam-se em mim? Talvez eu simplesmente tenha me encaixado nos ponteiros do relógio parado na parede da cozinha...
Pára! Pára... Porque o relógio está parado, se o tempo não pára!?
Espera, espera! Pausa pro cigarro! Perdi o horário do almoço, mas o relógio interno grita que é hora de sentar, acender um cigarro e despejar alguma coisa no papel.
‘Então, posso confundir teu pensamento? Seria o tempo-passado conversando com o tempo-agora?’...
Derramo algumas palavras... A essa altura, o papel já transborda palavras soltas, o cinzeiro já grita por socorro e o relógio naquela parede branco-morte continua parado. Eis que o tempo corre e o pensamento voa. Ponteiros e eu ajustados: ambos estáticos!
É preciso permanecer parado? Não, preciso continuar a andar, mesmo que seja contra o tempo, mesmo que seja a favor dele. Não entrego os pontos! Preciso trocar as pilhas, recarregar as baterias, subir no muro, respirar o cheiro dessa liberdade nauseante... Preciso trocar o relógio dessa parede! Diga 'oi' ao mundo, criança, é hora de mergulhar no tempo. Não se ajusta ponteiro de vida-relógio! Preciso me desapegar das horas, aprender a deixar o dia correr! Ter hora para tudo me angustia, e não ter tempo para nada me deixa em caos...
O jeito é ligar pra ‘Ela’, convidá-la para uma cerveja e esquecer que o tempo insiste em me ferir a face. O jeito é me afogar naquele abraço!


[Savana Dantas e Thaty Nardelli]



"Faz de conta que ela fechasse os olhos e os seres amados surgissem quando abrisse os olhos úmidos da gratidão mais límpida. (...) Faz de conta que ela não estava chorando por dentro - pois agora mansamente, embora de olhos secos, o coração estava molhado; ela saíra agora da voracidade de viver!"


[Clarice Lispector]