sábado, 30 de janeiro de 2010

S. Versus K.

- Que cara de ontem é essa, criatura?

- Pergunta auto-explicativa!

- Tava com quem?

-Ah, você não conhece. Na verdade, nem eu conheço direito... Sei que trepa bem pra caralho!

-Aff! Não consigo ser assim, que nem você. Não consigo fazer sexo por fazer, com qualquer um ou uma que apareça na minha frente. Acho que deve ser estranho acordar do lado de um desconhecido...

- Estranho, querida, é viver sem sexo. Estranho, feio e não-saudável! Não é você que vive falando mal da minha alimentação e blábláblá? O que diabos adianta cuidar de uma vida sem sexo?

- Ué, mas eu faço sexo....

- Anrãn, faz... Uma vez na vida, outra na morte. Pra quê cargas d’água ficar enrolando se, cedo ou tarde, você vai transar com o cara? Conheceu, gostou, deu certo... Transou! Simples assim...

- É aí que tá a grande diferença entre nós duas... Tem que ter alguma coisa, sabe? Não pode ser só sexo, tem que ter....

- Amor?

- É, amor... Se não tiver amor, o sexo não compensa. E se é pra não compensar, eu prefiro não fazer!

- Putz... Tu é a típica mulherzinha-sexo-frágil, hein?!

- E tu, é o quê, menina?

- Eu sou o tipo frágil por sexo... E quer saber do quê mais? Eu não faço sexo por fazer. Via de regra tem amor no meu sexo. Mesmo que seja com um desconhecido ou desconhecida qualquer, mesmo que seja numa noite louca de boemia, como a de ontem. Sempre faço sexo por amor, sempre... Ainda que por amor ao sexo!

- ...

-Tem engov aí?

.

.

P.S.'s:

*...E até quando o cerrado vira selva, os dentes insistem em mostrarem-se p'ras paredes que não abafam nem o barulho d'um peido...

*Saudade de tudo... Saudade de todos!

*Bazzzzinga!

domingo, 24 de janeiro de 2010

.
A verdade é que esse peito já não sangra como antes. Que um simples abraço conforta muito mais do que se possa imaginar. Que o frio já nem amedronta tanto quanto outrora já ousara amedrontar. Que o calor até que é convidativo. Que os músculos, quase sempre tão cansados, nem sempre refletem o entusiasmo psíquico (ou vice-versa, hei de convir!).
A verdade é que os cigarros e o café até que andam meio escondidos dos meus hábitos (só meio escondidos, reconheço!). Que gostar dos outros é saber gostar mais de mim, ainda que não tanto quanto se deveria. Que a música e os livros nunca me encantaram tanto. Que minha sensibilidade agora se mostra a olhos nus. Que os meus desejos, outrora tão reprimidos, agora me saltam dos olhos.
A verdade é que as preocupações já não me preocupam tanto. Que as cervejas e os bares nunca foram tão importantes quanto agora. Que os amigos, mesmo os tão distantes, estão sempre cá comigo, na lembrança e no coração.
Aliás, meus amigos, a verdade é que os sorrisos e as lágrimas andam equilibrados na balança e isso faz de mim uma criatura um pouco mais amena comigo e muito mais intensa com todo o resto!!!

P.S.'s:

*A chuva de Brasília – aquela lá que vem sem aviso - as vezes chega e demooooora a passar... Se me permitem a brincadeira com o texto anterior: tomara que ela simplesmente torne-se uma constate...

*Sinto falta de alguns visitantes fiéis dessa bagaça... S.E.L., Branquinha, Leilinha, Carlos 666 (=D)...

*
.

P.P.S.: Essa arte de Orlando Pedroso é um P.S.... ;)